26.5 C
Buenos Aires
lunes, febrero 6, 2023

Mercado cosmético vive boom de tecnologias verdes

Mercado cosmético vive boom de tecnologias verdes. Expansão da biotecnologia, extração vegetal, cultura de células vegetais e síntese molecular mostram que não há limites para a inovação

Por Estela Mendonça*

Com a vida social aos poucos retornando ao normal sem as restrições da Covid-19, os institutos de pesquisa preveem que o consumo de produtos para a pele se popularize ainda mais e favoreça especialmente os produtos de clean beauty. De acordo com pesquisa da Global Data, 30% dos entrevistados globais relataram que gastaram quantias altas ou muito altas em cuidados com a pele no segundo trimestre deste ano.

“A saúde está na mente de todos desde o início da pandemia e estamos vendo os consumidores se tornando mais conscientes das condições da pele relacionadas aos cuidados. Como resultado, os consumidores se afastaram de produtos como peelings ácidos e estão consumindo mais produtos anti-inflamatórios e probióticos, que prometem ajudar o bioma da pele”, analisa Ryan Whittaker, analista de consumo da Global Data.

Segundo a Ecovia Intelligence, o mercado global de produtos de higiene pessoal e cosméticos naturais e orgânicos está se recuperando da pandemia, com vendas atingindo US$ 12,5 bilhões no ano passado. A previsão da empresa é de um crescimento mais lento ao longo de 2022, por conta do conflito geopolítico, que tem causado aumento nos preços das matérias-primas, inflação e incerteza econômica.

Conceito evolui

Estudo da Nilsen IQ aponta que, quando o movimento da clean beauty começou, seu foco era principalmente identificar formulações mais limpas de produtos livres de ingredientes nocivos comuns, como parabenos, sulfatos e ftalatos. À medida que os consumidores evoluíram e se tornaram mais informados, eles estão cada vez mais exigindo que os produtos que compram também sejam sustentáveis.  “As tendências de ingredientes ‘livres de’ se sustentaram ao longo de vários anos. No entanto, o crescimento real das vendas vem das tendências éticas e de sustentabilidade”, diz o estudo.

Os consumidores de beleza limpa, de acordo com Nielsen IQ, também querem ver ingredientes que eles reconhecem e confiam e cada vez mais esses ingredientes estão sendo extraídos de alimentos, como abacaxi, aipo, algas e arroz, para produtos para cuidados com a pele e o cabelo. No entanto, os consumidores não estão satisfeitos apenas com ingredientes populares ou alegações de atributos nos rótulos. Com mais discernimento sobre os produtos que escolhem, os consumidores esperam um compromisso real e transparência das marcas antes de tomar uma decisão de compra.

Neoecologia

Em palestra realizada na Semana ABIHPEC de Mercado, em setembro, Gaia Prado, da consultoria Peclers Paris, falou sobre o conceito de neoecologia, desmistificando a oposição entre o que é natural e sintético, ressaltando que a tecnologia pode ser eficaz, sustentável e ética.

“Priorizar a questão da segurança dos produtos, que devem seguir rígidos protocolos de testagem e ter escalabilidade na indústria são fatores imprescindíveis para a evolução da sustentabilidade. Não se pode assumir que natural é sinônimo de segurança e qualidade, assim como que o que é sintético não o é, é preciso lembrar que a química está em tudo e é necessário pautar o conhecimento nas descobertas da ciência”, defendeu.

Dermomake

Os recentes lançamentos demonstram essa direção. A Make B, do Boticário, que já é conhecida por seu portfólio de dermomake (maquiagem que trata a pele), incluiu em seus novos batons o ácido poliglutâmico, que é produzido pela fermentação da bactéria Bacillus subtilis, garantindo até 48 horas de hidratação.

Mirele Martinez, diretora de maquiagem do Grupo Boticário

Eles chegam com três acabamentos: mate, cremoso e glossy e contam com refis, que podem ser trocados com muita facilidade e entregam opções mais acessíveis.

O ácido poliglutâmico é um ativo biodegradável, considerado não tóxico para o ser humano e para o planeta.  “Pesquisas recentes descobriram que o seu uso pode aumentar a produção de ácido carboxílico, ácido lático, pirrolidona e ácido urocânico, substâncias produzidas naturalmente pelo organismo que ajudam a manter a hidratação, além de apontarem a formação de um filme sobre a pele capaz de reter até quatro vezes mais umidade que o ácido hialurônico”, explica Mirele Martinez, diretora de maquiagem do Grupo Boticário.

100% do abacate

Mustela, que já tem em sua linha BIO fórmulas minimalistas, orgânicas e veganas para toda a família, lançou no mercado nacional o Bálsamo Multifuncional Orgânico Certificado, que nutre, restaura e suaviza a pele, com segurança para uso desde o nascimento e em todas as idades.

Marilla Mesquita, gerente de marketing e responsabilidade socioambiental corporativa da Mustela no Brasil

A novidade aproveita por inteiro o abacate orgânico, casca, polpa e caroço, por meio de uma técnica patenteada pela Mustela, que consiste em gentilmente fatiar, desidratar e prensar para obter três extratos vegetais de alta eficácia do abacate: óleo virgem, açúcares e polifenóis antioxidantes. Os ativos se complementam para promover nutrição, restauração e proteção para as áreas ressecadas do rosto e do corpo, como pescoço, lábios, cotovelos, mãos, cutículas, joelhos e pés.

“Existe uma tendência de se consumir menos e melhor. Pensando nisso, desenvolvemos o Bálsamo Multifuncional, um produto único para toda a família, que respeita o planeta, as pessoas e todos os tipos de pele”, destaca Marilla Mesquita, gerente de marketing e responsabilidade socioambiental corporativa da Mustela no Brasil, que explica os abacates utilizados na fórmula são cultivados no Peru, respeitando a conservação da biodiversidade e os conhecimentos tradicionais da região. “Mais do que isso, compartilhamos os benefícios de forma justa e reaproveitamos a totalidade dos frutos que foram excluídos para consumo humano”.

Sabonetes vegetais

Ypê, que está expandindo o seu portfólio nas categorias de cuidados pessoais com novos sabonetes em barra e líquidos, passou a contar com uma nova linha de sabonetes vegetais em barra Flor de Ypê, com óleos de origem vegetal, sem adição de ingredientes de origem animal e certificada pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB). O produto possui quatro diferentes fragrâncias: Cacau e Baunilha, Pitaya, Flor de Alecrim e Limão Siciliano. Além de serem 100% biodegradáveis, os produtos serão vendidos em embalagem reciclável de papel.

“A Ypê busca expandir constantemente sua presença no mercado oferecendo produtos inovadores e de qualidade a um preço acessível, que atendam às necessidades e desejos dos nossos consumidores. A ampliação do portfólio reflete a nossa intenção de estarmos cada vez mais presentes dentro dos lares das famílias brasileiras”, afirma Gilson Mazetto, vice-presidente comercial e de marketing da Ypê.

Peptídeos de arroz

A marca The Body Shop, que integra o Grupo Natura & Co, reformulou sua linha Drops Of Youth, que ganhou a denominação Edelweiss. O lançamento conta com seis produtos. A nova fórmula, além de peptídeos derivados do arroz no hidratante, conta com o dobro do extrato botânico alpino da flor de Edelweiss, ingrediente apresenta 43% mais antioxidantes do que o retinol e que contém ácido leontopódico, substância que protege a pele contra as ações climáticas contribuindo para o processo de hidratação e regeneração natural, promovendo maior preenchimento e maciez na pele.

Frações probióticas       

O novo Vichy UV-Age Daily FPS 60 oferece fotoproteção em nível celular combinada à eficácia anti-idade e com uma textura de alta fluidez, com alta concentração de ativos: 4% de peptídeos pró-colágeno, 2% de vitamina B3 e frações probióticas, atuando nos principais sinais do fotoenvelhecimento e possui efeito antioxidante e antipoluição. “Uma rotina anti-idade completa depende da utilização de bons protetores solares com alta proteção e da escolha de produtos anti-idade formulados com ativos que comprovem sua eficácia. O novo UV-Age Daily FPS 60 foi desenvolvido especialmente para atender essa demanda que é cada vez maior, com a combinação de proteção solar e ativos anti-idade em um único produto”, disse Sabrina Peliks, diretora da marca. O produto é indicado para todos os tipos de pele e resistente à água.

Ancestral e tecnológica

A linha Q Acidus da Quintal Dermocosméticos chegou ao mercado no início de setembro com seu primeiro produto: AC-Hibístico, solução renovadora e regeneradora com ativos selecionados para melhorar a elasticidade, suavizar linhas de expressão, uniformizar o relevo e a textura cutânea, além de auxiliar na redução da produção sebácea e aumentar a hidratação da pele. Segundo a marca, os benefícios ficam por conta da fórmula ancestral e tecnológica derivada de flores e plantas milenares e ingredientes de última geração. O produto reúne ácido hibístico (Flower Acids®) ácido maltobiônico (PHA), unidos ao bakuchiol e um escudo botânico composto por ora-pro-nobis, equinácea e mandacaru, além de um fermentado mineral metálico que conta com zinco, magnésio, ferro, cobre e silício.

Unhas e cutículas

Natura Una lançou recentemente um produto com foco nas unhas e cutículas mais saudáveis desde a primeira aplicação, o Sérum para Unhas e Cutículas. O produto é vegano e com 97% de produtos naturais, como macadâmia, gergelim e castanha, entre outros óleos naturais, que ajudam a fortalecer as unhas quebradiças e propõem o máximo de hidratação e redução do crescimento de cutículas.

Tratamento capilar

Mantecorp Skincare ampliou seu portfólio capilar com a linha Pielus com dois produtos: Pielus Detox e Pielus Condicionador, produzidos com quase 100% de ingredientes naturais. O shampoo possui ácido hialurônico, aloe vera, prebiótico natural, sementes de damasco e chá-verde que promovem limpeza profunda, controle da oleosidade, equilíbrio do microbioma do couro cabeludo, ação adstringente e antioxidante, além de hidratar e não ressecar os fios, sendo indicado para couro cabeludo misto, oleoso e sensível. Já o condicionador conta com 98% de ingredientes naturais e é indicado para todos os tipos de cabelo. Ambos possuem formulações isentas de silicone, parabenos, sulfatos e ftalatos.

Bio-retinol do rambutan

O novo Riô Sérum Hidratante Firmador, segundo a marca, conta com fórmula pioneira no Brasil ao usar o bio-retinol do rambutan para rotina de skincare. O ativo aumenta a produção de elastina e colágeno, garante que as fibras fiquem organizadas e cria uma rede estrutural forte e maleável que melhora a sustentação e o contorno da pele do rosto. Outro grande benefício é que ele não tem os efeitos colaterais comuns aos retinóides tradicionais: não tem potencial irritante, não é fotossensibilizante, não é disruptor hormonal e não tem contraindicação de uso por gestantes ou lactantes.  Pode ser combinado com outros produtos, como fórmulas antioleosidade e antirrugas.

Biotecnologia no comando

Destacando-se no fornecimento de matérias-primas para o segmento clean beauty, a Dowvem trabalhando fortemente em soluções biotecnológicas e sustentáveis. Um bom exemplo são os recém-lançados EcoSenseTM GL-60 HL e EcoSenseTM GL-60 HA,  biossurfactantes da classe dos sophorolipideos, originados do óleo de canola e açúcar, produzidos por processo fermentativo, com baixa pegada de carbono,  suportando a demanda do mercado por formulações naturais, biodegradáveis e com matérias-primas 100% renováveis. “Os produtos apresentam certificação de 100% de índice de naturalidade pela ISO 16128 e possuem uma altíssima suavidade em relação a outras classes de surfactantes, além de proporcionarem limpeza, atuando como co-surfactantes, solubilização de óleo essencial e fragrâncias e emulsificação em formulações para pele e cabelo”, destaca Natália Polidoro, especialista técnica da empresa.

Natália Polidoro, especialista técnica da empresa Dow

Como especialista mundial em silicones, a Dow também busca extensivamente tecnologias que possam oferecer um desempenho honesto comparável à química do silicone para atender as demandas de mercado. “Hoje, como nenhum produto químico pode reproduzir a amplitude de aplicabilidade dos fluidos de silicone, estamos lançando a plataforma EcoSmooth™ Universal Fluid, que visa incluir tecnologias que possam corresponder à características de fluidos de silicone nas formulações com alto desempenho e bom custo-benefício”, observa Natália, que anuncia o lançamento EcoSmooth™ Universal Fluid 1100, um produto à base de planta, originário de bagasso e molasso de cana e milho, resíduos transformados em aplicações de alto valor agregado.

EcoSmooth™ Universal Fluid 1100, segundo Natália, possui índice de naturalidade 0,7 (ISO 16128), é biodegradável (ASTM E 1720 -01) e gera alta espalhabilidade, sem deixar resíduos oleosos ou pegajososidade na pele, proporcionando uma sensação leve e de pele macia, além da alta compatibilidade com ingredientes cosméticos e fragrâncias, com vasta gama de aplicações em formulações de desodorantes, antiperspirantes, produtos de limpeza, cremes para o corpo, loções, protetores solares e maquiagens. “Ele possui perfil sensorial bastante semelhante ao ciclopentasiloxano, um dos emolientes mais reconhecidos do mercado”.

A Dow também anunciou recentemente um novo contrato com a BSB Nanotechnology Joint Stock Company, a primeira produtora mundial de sílica especial à base de casca de arroz premium. “Esse desenvolvimento ajuda a acelerar o compromisso da Dow com uma oferta de produtos de base biológica e resultou no EcoSmooth™ Rice Husk Cosmetic Powder, que oferece benefícios ópticos e uma experiência sensorial única para consumidores em aplicações de cuidados com a pele, cabelos e maquiagens. É proveniente da casca de arroz, um subproduto da moagem nos campos de produção”, diz Natália.

Vitamina por fermentação

Para Lara Ferreira, especialista de aplicação da Focus Química, alguns consumidores, impulsionados pela mudança de hábito e preocupações com o meio ambiente, estão optando cada vez mais por produtos cosméticos que atendam os mesmos requisitos éticos do seu estilo de vida. “Para esses consumidores a conscientização sobre temas como sustentabilidade, beleza limpa e livre de crueldade são uma crescente preocupação”.

Lara Ferreira, especialista de aplicação da Focus Química

Alinhada com as tendências, a DSM, representada da Focus Química, lançou para o mercado de personal care a Vitamin B12 Cryst (Cyanocobalamin) produzida através de fermentação bacteriana GMO free, que possui índice de naturalidade de 68,7%, de acordo com a ISO 16128, é aprovada Halal e compatível com produtos veganos.

“A vitamina rosa biotecnológica repara a pele sensível e cansada, alivia condições como coceira, irritação, inflamação, vermelhidão e ressecamento, promovendo uma aparência mais radiante”, destaca Lara, acrescentando que ela também ajuda a proteger a barreira cutânea dos danos causados pelos fatores ambientais, como a radiação e poluição, acelerando a recuperação e regeneração das células.

Teste in vitro realizado pela DSM demonstrou que a Vitamin B12 Cryst reduz a degranulação de mastócitos pela inibição da liberação do mediador pró-inflamatório histamina. “Os mastócitos podem ser ativados por fatores de estresse ambiental. A degranulação, que consiste na liberação de mediadores pró-inflamatórios, como a histamina, a citocina e a protease, entre outros, resulta em coceira, irritação, vermelhidão e aumento de sensibilidade na pele”, explica a especialista da Focus Química.  Esse mecanismo de ação, segundo ela, auxilia na proteção dos danos causados na barreira cutânea por inflamação e alivia a pele sensível e irritada.

Lara lembra que os cremes para cuidados faciais diários estão ganhando cada vez mais força, pois a melhor forma de administração de um ativo é a aplicação tópica para atingir o alvo periférico. “A Vitamin B12 Cryst pode ser incorporada em vários produtos para cuidados com a pele e cabelo, com foco preventivo contra as microinflamações e cuidados dermatológicos, como dermatite atópica, e se adapta perfeitamente a qualquer formulação de alto índice de naturalidade”, afirma.

Dispersão de pigmentos

Contextualizando o mercado, Jessica Ribeiro, analista de laboratório de aplicação, avalia que os cosméticos sustentáveis se tornaram uma grande tendência, considerando o crescimento da conscientização das pessoas sobre a importância de preservar o meio ambiente e adotar práticas mais saudáveis e sustentáveis. “A Kobo, como empresa consciente e responsável pelos efeitos socioambientais que os cosméticos produzem, traz para o mercado diversos ingredientes de origem natural e que possuem alta performance”, afirma.

Jessica Ribeiro, analista de laboratório de aplicação da Kobo

Jessica lembra que a alta dispersabilidade de pigmentos é fundamental para o desenvolvimento de cores e para promover a estabilidade de formulações. Levando em conta esse importante aspecto, aliado ao desejo do mercado por soluções de ingredientes de origem natural, a Kobo desenvolveu o tratamento de superfícies de origem natural ASGP, que consiste na combinação de Stearoyl Glutamic Acid (ASG) e Polyhydroxystearic Acid (P).

Tratamentos de superfícies para pigmentos já trazem inúmeras vantagens para formulações. Jessica cita várias delas: melhor umectação dos pigmentos, maior compatibilidade e dispersabilidade em óleos, redução na densidade e viscosidade do bulk, controle mais preciso do tamanho das partículas, minimização da reaglomeração das partículas, maior estabilidade da cor e reprodução de cor lote a lote. Entretanto, ao utilizar o tratamento de ASGP, a analista garante que essas vantagens são expandidas. “Este tratamento é capaz de tornar os pigmentos hidrofóbicos e superdispersíveis, requerendo agitação e energia mínimas durante a fase de moagem, podendo ser disperso facilmente utilizando somente um agitador mecânico, o que facilita o desenvolvimento rápido e uniforme da cor. Além disso, garante um sensorial mais cremoso às formulações, cores mais intensas e melhor payoff, conferindo melhor adesão dos pigmentos tratados à pele”.

Em teste de comparação de moagem de pigmentos no grindômetro (imagem abaixo), a mistura de pigmentos tratados com ASGP (C) foi totalmente dispersa (unidades Hegman >7), demonstrando uma performance de dispersão superior aos pigmentos tratados com ésteres de jojoba (A) e com aminoácidos (B).

Legenda: Dispersão de pigmentos tratados com ASGP da Kobo (C) foi superior aos que receberam tratamentos com ésteres de jojoba (A) e aminoácidos (B)

Ceramidas biomiméticas

“A biotecnologia é uma importante alavanca de crescimento e inovação na Evonike impulsiona a expertise da empresa nas áreas de fermentação, biomateriais e industrialização de produtos”, ressalta Daniel Coelho, coordenador de marketing da Evonik em Care Solutions América Latina, informando que há mais de 25 anos, a empresa formula e comercializa uma gama diversificada de ingredientes, como as ceramidas, para produtos de beleza e cosméticos altamente eficazes.

Coelho explica que a larga experiência no processo biotecnológico fermentativo produz grandes quantidades do precursor fitoesfingosina, que é combinado com ácidos graxos cerosos para formar ceramidas biomiméticas idênticas às do corpo. Além disso, ao combiná-las com outras matérias-primas, é possível obter misturas otimizadas de ceramidas e fornecer aos clientes ativos e ingredientes cosméticos que trazem benefícios únicos.

Daniel Coelho, coordenador de marketing da Evonik em Care Solutions

Um dos destaques do portfólio de ceramidas da Evonik para cuidado da pele do rosto e do corpo é o SK-INFLUX® V MB, um concentrado lipídico idêntico à pele, com benefícios comprovados, que ajuda a recompor a estrutura da barreira cutânea, reparando sua função protetora e hidratação.

“A mistura concentrada de diferentes tipos de ceramidas, colesterol, ácidos graxos livres e fitoesfingosina torna o SK-INFLUX® V MB ideal para produtos de cuidados pessoais com capacidades únicas de restauração, especialmente para o combate dos sinais de envelhecimento, pele seca ou sensível”, afirma Coelho, lembrando que o uso de produtos de cuidados com a pele contendo ceramidas contribui para reter a umidade, hidratar e tornar a pele mais firme, com menos rugas ou linhas visíveis e aliviar a irritação de peles mais sensíveis.

Outra solução citada por Coelho é o Hairflux®, um ativo vegano multifuncional, 100% de origem natural e prontamente biodegradável, que combina ouro cabeludo, conferindo uma melhora perceptível e sensorial. Redução de irritações no couro cabeludo e da coceira, melhora da hidratação e reparação e fortalecimento dos cabelos estão entre seus benefícios comprovados. “É altamente eficaz em baixas concentrações e possui excelente eficácia de reparo em cabelos quimicamente tratados e em vários tipos de cabelo”.

Mais informações sobre as ceramidas da Evonik estão disponíveis no portal intoBeauty®, que também conta com a ferramenta Ceramide Knowledge Center, com instruções, dicas e inspiração para formulações em laboratório ou escala industrial.

Tecnologia de superfluidos

“O Grupo Solabia, que neste ano completa 50 anos, sempre buscou a melhor relação entre a tecnologia e a natureza, o que se tornou o nosso lema. O desenvolvimento sustentável não é apenas um conceito de marketing, mas um compromisso tangível do Grupo Solabia nas suas diferentes áreas e entre as diversas tecnologias que utilizamos, principalmente na biotecnologia, a nossa maior expertise”, comemora Ana Paula Rezende, diretora comercial e de marketing, que cita como exemplo o Fucogel®, um polissacarídeo produzido por fermentação bacteriana, best-seller da companhia há mais de 30 anos, presente em mais de 1 milhão de produtos no mercado cosmético mundial.

Ana Paula Rezende, diretora comercial e de marketing do Grupo Solabia

Entre as diversas tecnologias presentes na concepção de seus ativos, em 2018, o Grupo Solábia adquiriu uma nova tecnologia verde com alto valor agregado: a Tecnologia de Superfluidos SolaGreen® de extração bifuncional de alto desempenho, que possui inúmeras vantagens, especialmente por  ser uma aplicação industrial que protege o meio ambiente, sem utilização de solventes e que ainda traz uma riqueza da biodiversidade molecular extraída, capaz de otimizar a eficácia biológica do ativo produzido.

“Essa tecnologia inovadora utiliza as propriedades extrativas complementares de dois superfluidos, a água subcrítica e o CO2 supercrítico, para melhorar a exploração fitoquímica em plantas e o design de ingredientes cosméticos ecológicos, que oferecem à nossa pele o melhor do que a natureza tem a oferecer”, explica Ana Paula. A tecnologia SolaGreen® tem ausência de emissão de VOC (compostos orgânicos voláteis), proporciona economia de energia e recursos, além da reciclagem de subprodutos vegetais e produção ativos biodegradáveis em conformidade com o COSMOS, com a utilização de solventes verdes não ecotóxicos e não inflamáveis, trazendo segurança ao local de trabalho.

ReVYskin® é o primeiro ingrediente ativo produzido usando esta tecnologia. O ingrediente é um extrato produzido por meio de água subcrítica obtido da superfruta goji berry. Segundo Ana Paula, ele possui três modos de ação: neutraliza o que se chama de Adip’Aging (envelhecimento causado pela perda do tecido facial adiposo subcutâneo e consequente diminuição da neosíntese lipídica da pele),  limita a flacidez facial e reforça e protege a barreira epidermal. Um dos resultados visíveis é seu efeito de preenchimento nos contornos faciais, área ao redor dos olhos e nas rugas do pescoço.

Ana Paula também anuncia uma oportunidade exclusiva de diferenciação para as marcas: “Além de nossos extratos e ativos já produzidos, o Grupo Solabia também oferece aos nossos clientes a chance de criar seu próprio extrato exclusivo SolaGreen®, potente e ecologicamente projetado”.

Raízes de genciana

Pioneiro em biotecnologias, o Grupo Greentech, presente no Brasil desde 2016 por meio de sua subsidiária Greentech Brasil, desenvolve ingredientes ativos de alta tecnologia a partir de fontes naturais como plantas, algas e microrganismos. “Nossas inovações representam alternativas comprovadas e sustentáveis, baseadas em relações equilibradas com produtores locais ao redor do mundo, a serviço das gerações futuras”, afirma Felipe Nunes, pesquisador fitoquímico e responsável técnico da Greentech Brasil.

Felipe Nunes, responsável técnico da Greentech Brasil

Um exemplo recente dessa trajetória foi a identificação no P&D da Greentech do gentiopicrosídeo como uma solução natural potente para rejuvenescimento do contorno dos olhos, o que levou ao desenvolvimento do MYRALYS®, um ingrediente ativo natural orgânico, com certificação COSMOS e que ganhou o prêmio de melhor ingrediente este ano, no Innovation Zone da in-cosmetics Korea.

Nunes conta que, de forma sustentável, as raízes de genciana são colhidas localmente na França por profissionais treinados em boas práticas de colheita e rigorosamente selecionadas pelos cientistas da Greentech, com base em seu conteúdo de gentiopicrosídeo para alcançar um extrato altamente purificado, graças a um avançado processo de padronização.

O MYRALYS® atua em seis vias biológicas interconectadas de acordo com uma abordagem multivias. Apresenta resposta antioxidante e anti-inflamatória, reduzindo a formação de produtos de glicação (AGES), além de inibir a angiogênese e ativar a drenagem. “O MYRALYS® reduz fortemente formação de AGEs, estimulando a Glyoxalase-1, principal enzima desintoxicante que neutraliza os aldeídos altamente reativos envolvidos na formação de AGEs, e neutralizando totalmente a formação de CML (carboximetil-lisina, principal AGE) induzida por radiação UV”, explica o pesquisador da Greentech.

Complementando, segundo Nunes, o MYRALYS® reduz o envelhecimento da matriz dérmica, ao estimular a síntese de colágeno tipo I e proteger as fibras elásticas da degradação da elastina induzida igualmente por radiação UV. Clinicamente testado em voluntários com contornos de olhos superiores e inferiores envelhecidos, foi demonstrado que o ativo eleva a parte superior das pálpebras caídas e rejuvenesce o contorno dos olhos reduzindo olheiras, bolsas nos olhos e atenuando o relevo lacrimal. “Com resultados visíveis e significativos em apenas 14 dias de uso e confirmados após 28 dias, MYRALYS® é uma solução natural potente para proporcionar um rejuvenescimento total do contorno dos olhos”, afirma.

Carboidrato líquido

Raquel Silva, gerente de negócios de personal care da Dinaco, observa que é   possível notar nas gôndolas a distinção de linhas que enfatizam novas tecnologias de outras que focam na vegetalização das fórmulas, mas pontua um  produto com apelo biotecnológico, que alia inovação e sustentabilidade, tem o potencial de atender a ambos segmentos de mercado.

Raquel Silva, gerente de negócios de personal care da Dinaco

“Ativos biotecnológicos usam algum componente vivo em seu processo produtivo, o que requer investimento em tecnologia e uma dose de biomimética, usando a natureza como inspiração”, explica Raquel, destacando que, alinhada aos princípios da clean beauty, como segurança, transparência, performance e sustentabilidade, a biotecnologia oferece soluções desejadas por  41% de brasileiros, para os quais ingredientes naturais são mais seguros para a pele, segundo estudo a  Mintel.

“Por outro lado, sabemos que ingredientes naturais podem causar reações adversas. Já produtos obtidos a partir de biotecnologia de fontes naturais, ainda que usem moléculas sintéticas, diminuem o risco de alergias e reações adversas”, avalia Raquel, que cita como exemplo o MG60, carboidrato líquido multifuncional derivado de amido com certificação Ecocert. Segundo ela, o ativo contribui para a performance de produtos para cabelo ou pele ao deixar a espuma mais densa e firme em produtos tensoativos, ao mesmo tempo em que diminui a irritação causada por eles. O MG60 é desenvolvido pela japonesa Nagase, referência global em biotecnologia por processos enzimáticos ou de fermentação.

“Ao aliar eficácia e sustentabilidade, os ingredientes biotecnológicos atendem o consumidor mais exigente, que não abre mão de performance. E nem precisa”,  afirma Raquel, que indica da representada Novachem  o Extracell™ Plex,  um ativo biotecnológico que mantém a força do cabelo descolorido tal qual o natural. Esse desempenho é comprovado por testes in vivo que evidenciaram a recuperação da tenacidade e força dos cabelos naturais em 100%.

Ingrediente pós-biótico, o Extracell™ Plex é composto por leveduras GMO free das uvas Malbec do sul da Argentina e produzido por meio de upcycling, ao utilizar o bagaço de cana-de-açúcar, resíduo da indústria canavieira, para alimentar as leveduras. “O ativo age protegendo e adicionando KAP’s (proteínas associadas à queratina) aos cabelos e protegendo as pontes dissulfeto, o que por sua vez aumenta a resistência do cabelo e reconstrói a fibra capilar”, descreve Raquel.

Stella McCartney, estilista e ativista de moda sustentável

  1. Marketing honesto

A estilista e ativista de moda sustentável Stella McCartney, durante o lançamento de sua linha minimalista e mais sustentável de skincare, em parceria com a divisão de beleza do conglomerado LVMH, fez críticas ao movimento clean beauty: “Eu entendo que as pessoas usem o termo ‘clean beauty’ pois ele traz um ideal de pureza, mas eu nunca o usaria para descrever a minha linha. A linguagem é muito importante. As pesquisas que nós estamos fazendo nessa linha há mais de 2 anos são reais. E agora corremos o risco de ver todo esse trabalho muitas vezes diluído por causa de termos do marketing como esse”.

Stella afirmou que sua linha própria de skincare quer inspirar uma “consciência limpa” e uma rotina minimalista, apresentando apenas três produtos que são refiláveis e produzidos com embalagens feitas de vidro reciclado. “A verdade é que tudo que criamos tem um impacto ambiental, então a escolha que nós temos é sobre o tamanho do impacto que nós podemos e queremos permitir. É nossa responsabilidade minimizá-lo o máximo possível, e sermos sempre honestos e transparentes sobre isso com o público”.

*Especial da Cosmetic Innovation

Seguinos en Twitter: SRSur News Agency

Noticias relacionadas

Últimas Noticias

English EN Français FR Deutsch DE Italiano IT Português PT Русский RU Español ES
Escribir
SRSur.com.ar
Dejanos tu mensaje!